Resenha: Gaian – O Reinício (Cláudio Manoel)

Gaian

Livro: Gaian – O reinício (Saga do Infinito #1) ♥ Autor: Cláudio Manoel ♥

Editora: Talentos da Literatura Brasileira ♥ Páginas: 334 ♥ Ano: 2015 ♥ Nota: 4,5/5

Sinopse: Gaian – o Reinício é uma fantasia épica e narrará os últimos acontecimentos da 7ª Era daquele mundo que revelaram o nascimento de uma guerra, a queda do grandioso Reino do Norte e o reaparecimento dos guerreiros sagrados, um grupo destinado a combater o mal que trará, a cada povo de Gaian, desespero, dor, pavor e morte e deseja acima de tudo a destruição. Quais escolhas devem ser feitas? O que importará mais? A força ou a sabedoria? Quais serão os caminhos dos guerreiros sagrados diante dos desafios? Haverá ainda espaço nas almas para a esperança?

Seja bem-vindo(a) a Gaian – o Reinício. Um livro sobre perdas, poder, pureza, vingança, aprendizado, medo e sobretudo crescimento. Um livro onde o passado, o presente e o futuro se encontrarão para formar o destino.

Gaian – O Reinício é o primeiro livro publicado da saga do Infinito. Este é uma fantasia épica, repleto de ação, batalhas, mitologia e relações humanas: perda, esperança, amizade, amor, vingança, ódio. Um ótimo primeiro livro, que nos apresenta a este cenário incrível que nos faz desejar saber mais sobre Gaian, sua história e seu povo.

O livro se inicio com a batalha do Grande salão de Eldor que determina a queda do Reino do Norte. Os exércitos então marcham para Arinon, com o intuito de devastá-lo e continuar sua dominação sobre toda Gaian. A Terceira Grande Guerra prevista pela profecia do oráculo de Krenak está acontecendo e juntamente com ela ressurgem os guerreiros sagrados; símbolos de paz e esperança para um povo desesperado.

Arffek é um deles e após a perda de sua esposa Erion, a maior paladina de Eldor, tudo que o move é o desejo de vingança e o ódio pelos seus inimigos. Após uma visão, ele segue para Arinon em busca de um suposto guerreiro, o camponês Heim. Então, ambos iniciam uma jornada, onde enfrentaram perigos inimagináveis, porém o maior perigo de cada um deles é enfrentar a si mesmo. Diversos personagens importantíssimos para a trama se juntarão, prontos para determinar o destino de Gaian, como a guerreira Brisrar e o bárbaro Ulthigar.

O livro é narrado em terceira pessoa e devido a isso temos uma visão bem ampliada da história, uma vez que o livro não possui apenas um narrador. A narrativa do autor é bem poética e por isso demorei um pouco a engatar a leitura, mas depois que entrei nesse universo, o livro fluiu muito bem. A construção do mundo nesse livro é sensacional; a história das Eras, dos Reinos, toda a mitologia original e única. Além de uma criação incrível de personagens reais, que são guerreiros, mas humanos e que sentem dor, sentem a perda, mas são capazes de sentir esperança, de amar. O livro apenas não foi cinco estrelas para mim, pois achei algumas partes da leitura cansativas.

Arffek foi o personagem que mais chamou minha atenção. Ele passa de um paladino mediano a um guerreiro sagrado poderosíssimo, capaz de executar magias antigas com precisão. Porém, o coração dele está vazio; desde que Erion morreu os únicos sentimentos que o movem são a vingança e o ódio. Estou muito curiosa para saber o desenvolvimento dele nos próximos livros. Brisrar se tornou uma das minhas personagens favoritas. Ela é forte, poderosa, mas mantém o coração bom, o coração de quem se permite sentir esperança. Ulthigar apesar de aparecer no final, foi um personagem que me conquistou também, um guerreiro forte, que tem uma relação linda com o pai.

Essa edição está lindíssima, só elogios da minha parte. No início de cada capítulo tem um ilustração linda, as folhas são amareladas e bem grossas o que deixa a leitura muito agradável. A capa é simples, mas combina muito com a história e eu acho bem bonita. Eu indico demais esse livro para amantes de fantasias épicas, que querem uma história repleta de ação, de filosofias e de passagens belas e marcantes. Venham conhecer Gaian e apaixonem-se por esse mundo, como eu.

“Todos têm um dom, e isso basicamente significa estar em contato com o que há de mais puro na vida: a verdade que é abrigada pela alma.”

♥Livro cedido em parceria com o autor♥

Anúncios

7 comentários sobre “Resenha: Gaian – O Reinício (Cláudio Manoel)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s